ATA DA 117ª REUNIÃO DO CONSECANA - PARANÁ - CONSELHO DOS PRODUTORES DE CANA-DE-AÇÚCAR, AÇÚCAR E ÁLCOOL DO ESTADO DO PARANÁ, REALIZADA NO DIA 26 DE NOVEMBRO DE 2009, NA SEDE DA ALCOPAR EM MARINGÁ

Aos 26 dias do mês de novembro de 2009, às 14:30h, reuniram-se os Conselheiros do Consecana – Paraná na sede da ALCOPAR, cujas presenças foram devidamente registradas no Livro de presenças de reuniões do Conselho.

A reunião foi aberta pelos presidente e representante do vice presidente do Conselho, sr Paulo Roberto Misquevis e Eduardo S. Quintanilha Braga, que após a saudação aos presentes passaram a palavra à UFPR para início dos trabalhos.

APRESENTAÇÃO DA UFPR

Os professores José Canziani e Vânia Guimarães apresentaram os preços de comercialização dos produtos resultantes da industrialização de cana-de-açúcar (açúcar e álcool os mercados interno e externo), referentes ao mês de novembro de 2009, também as cotações na BM&F e CSCE, e as cotações do dólar.

Na sequência o senhor Paulo Misquevis colocou os dados apresentados em discussão e posteriormente em votação, sendo aprovados para compor a Resolução n.º 09 da Safra 2009/2010, a vigorar a partir do dia 01 de dezembro de 2009.

RESPOSTA DO SETOR INDUSTRIAL ÀS PROPOSTAS DO SETOR PRODUTIVO AGRÍCOLA

O senhor Paulo Misquevis informou que a proposta de mudança de parâmetros do Consecana encaminhada pelo setor agrícola foi analisada pelo Conselho da Alcopar que assim definiu:

1- Sobre a utilização do valor médio real do ATR da cana produzida no Paraná para obtenção do preço da cana básica no campo , o posicionamento é de não aceitação.

Justificativa:
A argumentação foi baseada no capítulo capitulo II da resolução do Consecana - Do Preço da Cana-de-açúcar - (Art. 14 Paragrafo 1º e Art.18).

Comentários:
A cana básica foi apurada com base em critérios técnicos. Sobre ela aplicava-se ágios e deságios. Hoje, os ágios e deságios são obtidos pela variação da quantidade de ATR.
Esta alteração trará uma majoração nos custos das unidades que utilizam este critério de pagamento e nenhum aumento para aquelas que, juntamente com seus fornecedores, optaram pelos outros métodos.
O Regulamento já prevê a comercialização pelo ATR da cana entregue.

2- Sobre a equiparação dos rendimentos industriais do açúcar mercado externo, álcool anidro e álcool hidratado considerados no modelo Consecana Paraná aos praticados no Consecana São Paulo, o posicionamento é de não aceitação.

Justificativa:
Os valores atuais são os seguintes:

AME SP 1,0453 PR 1,0495 DIF 0,0042
AEA SP 1,7651 PR 1,8169 DIF 0,0518
AEH SP 1,6913 PR 1,7409 DIF 0,0496
No ATR do etanol esta mudança trará uma majoração de 2,94%

Exemplo com índices do PR :
-Preço do anidro sem impostos: R$ 900,00
-Participação do produtor: 62,1% = R$ 558,90
-Quantidade de ATR/m3 = 1,8169
-Valor do kg de ATR = R$ 0,3076

Exemplo com índices de SP:
-Preço do anidro sem impostos: R$ 900,00
-Participação do produtor: 62,1% = R$ 558,90
-Quantidade de ATR/m3 = 1,7651
- Valor do kg de ATR = R$ 0,3166

No ATR do açúcar a majoração é desprezível
No mix médio do Paraná (55,5% para Etanol) o aumento seria de 1,63%
Este é o único ponto que ainda diferencia a metodologia de apuração do valor do ATR entre PR e SP

Em nossas discussões anteriores mantivemos estas diferenças baseando-se nos seguintes pontos:

1.As unidades industriais do Paraná são menores do que as de São Paulo.
2.Nosso aproveitamento de tempo de moagem é menor.
3.A riqueza de nossa cana é menor.

Os representantes do setor produtivo agrícola irão analisar as argumentações apresentadas e em data a ser definida realizarão uma apresentação justificando as mudanças solicitadas.

COMPARATIVO DE SAFRAS NO PARANÁ- POSIÇÃO 16/ 11/2009

Em seguida o Sr José Adriano da Silva Dias apresentou um comparativo das safras paranaenses de cana 2008/2009 e 2009/2010 posição em 16/11/2009: A cana total moída aumentou 1,91% em relação ao mesmo período da safra anterior, passando de 36,4 milhões de toneladas para 37,1 milhões de toneladas. A produção de açúcar passou de 2.026 toneladas para 2.113 toneladas, aumento de 4,33 %. O etanol total diminuiu 7,62%,passando de 1.647.301m³ para 1.521.764 m³. O etanol anidro passou de 336.991 m³ para 311.087 m³, queda de 7,69%. O etanol hidratado passou de 1.310.310 m³ para 1.210.677 m³, queda de 7,60%. O ATR total passou de 5.041.110 t para4.921.237 , queda de 2,38%. Em kg de ATR/t de cana houve queda de 4,21%, passando de 138,55 para132,72%. Também houve queda de 9,35 % no rendimento litros de etanol por tonelada de cana, passando de 45,27 na safra anterior para 41,04 na atual.. Já no rendimento quilos de açúcar por tonelada de cana houve aumento de 2,72%, passando de 56,24 para 57,77.

ASSUNTOS GERAIS

A próxima reunião foi agendada para o dia 22 de dezembro (terça feira) às 10h:30 h, no auditório da UFPR - Setor de Agrárias em Curitiba.

Nada mais havendo a tratar o senhor Paulo Misquevis encerrou a reunião da qual foi lavrada a presente ata que vai assinada pelos senhores Paulo Roberto Misquevis e Eduardo S. Quintanilha Braga, presidente e vice-presidente do Conselho respectivamente.

PAULO ROBERTO MISQUÉVIS
EDUARDO S. QUINTANILHA BRAGA 
Presidente
P/ Vice-Presidente

Anexo: Resolução nº 9 da safra 2009/2010.